top of page

Volume 8 - 2024

número 1, 2024  
artigo monográfico 1, 2024  
número 2, 2024  
número 3, 2024  
número 4, 2024  
número 5, 2024  

Os opiliões (Arachnida: Opiliones) nas manifestações culturais brasileiras: uma revisão bibliográfica

Cícero Eduardo de Rezende; Eike Daniel Fôlha-Ferreira; Maria Júlia da Costa Alvarenga;

Luís Gustavo Talarico Rubim; Ricardo Pinto-da-Rocha & Marcos Magalhães de Souza

Resumo

Os opiliões formam uma das maiores ordens de aracnídeos, sendo amplamente distribuídos pelo mundo, com a maior diversidade de espécies na Mata Atlântica brasileira e na Floresta Amazônica. Apesar disso, esses animais são pouco conhecidos no país, pois possuem hábitos noturnos e crípticos. O objetivo foi realizar um levantamento etnozoológico no Brasil sobre a ordem Opiliones, a fim de identificar sua presença nas mais diferentes manifestações culturais e assim contribuir para a popularização do táxon. De agosto a novembro de 2023, foram coletadas informações por meio de revisão da literatura, como artigos, blogs, livros, resumos, monografias, teses e dissertações relacionadas à etnozoologia. Com o intuito de facilitar o entendimento do leitor sobre as diferentes manifestações culturais envolvendo os opiliões, as informações foram organizadas e discutidas em quatro seções: nomes populares; literatura infantojuvenil; medicina popular, folclore e curiosidades diversas; e canais do YouTube. Há muitos nomes populares atribuídos aos opiliões, porém comumente remetem a aranhas, pois são frequentemente confundidos com essas em função da similaridade morfológica, e também a um de seus diversos mecanismos de defesa, a emissão de um forte odor. Há poucas referências nas distintas manifestações culturais brasileiras, por isso o mérito deste estudo é reunir informações diversas e assim constituir uma ferramenta auxiliar na popularização desses artrópodes.

Palavras-chave:  artrópodes; cultura brasileira; etnozoologia.

Organizando a “Pokébotânica” por meio de análise fílmica: explorando o potencial do anime POKÉMON

como ferramenta didática para impulsionar o ensino de Botânica

José Eduardo Andrade Neto; Emerson Santos Guimarães; Maria Eduarda Garcia de Andrade & Fabiana Santos de Macena

Resumo

O anime POKÉMON, que pertence à franquia The Pokémon Company, apresenta um potencial no ensino de Botânica, sendo possível recurso didático não convencional. Assim, tem-se como objetivo analisar o potencial em cenas do anime para a promoção do ensino de Botânica. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, descritiva e exploratória, realizando análise fílmica nos episódios levantados no TV POKÉMON. Os episódios selecionados demonstraram uma grande potencialidade para o âmbito educacional.

Palavras-chave: ensino de Ciências e Biologia; recurso didático; The Pokémon Company; TV POKÉMON.

O potencial didático da tradição da Páscoa como recurso para o ensino de Ciências: os entregadores de ovos

Phillipe Knippel do Carmo Graça & Elidiomar Ribeiro Da-Silva

Resumo

É possível reconhecer uma evolução na formação e experimentação de novas metodologias de ensino na tentativa de modificar a rotina das aulas, marcadas pelo tradicional e maçante processo passivo de transmissão-recepção do conhecimento. Diante desse contexto, Ciências e Biologia podem fazer uso de uma festa religiosa como instrumento de motivação dos educandos ao estudo dos seres vivos ou, no caso da zoologia, dos animais. A Páscoa é uma festividade religiosa e um feriado cristão em que se celebra a ressurreição de Jesus Cristo. Pessoas em todo o mundo se reúnem para essa notória celebração, que inclui diversos costumes pascais bastante variados entre os cristãos e não cristãos do mundo inteiro. Como a troca de ovos de Páscoa, que consiste em trocar/encontrar ovos escondidos por um mítico representante da família Leporidae (Lagomorpha), o famoso Coelhinho da Páscoa. Curiosamente, e de pouco conhecimento do público, não só o coelho é responsável lendário pela entrega dos ovos de Páscoa. Tais delícias de chocolate nessa época são entregues ao redor do mundo por diferentes animais, como aves com nome de relógio, marsupiais de focinho comprido e outros. O presente estudo demonstrou que a correlação entre uma notória festividade religiosa e os seres vivos, se bem explorada, pode possibilitar enormes ganhos para o processo ensino-aprendizagem.

Palavras-chave: ovos de Páscoa; popularização da ciência; seres vivos; zoologia cultural.

Pra que serve o canibalismo? Fatos, versões & opiniões

Neuza Rejane Wille Lima

Resumo

A pergunta: “Para que serve o canibalismo?” norteia o artigo de opinião sobre a relevância desse comportamento tão polêmico. Canibalismo é a prática de um animal matar outro da mesma espécie para ingeri-lo, mesmo que parcialmente, sendo classificado segundo os graus de parentesco entre os pares envolvidos: intrauterino, filial, fraternal, sexual, matrifágico ou patológico. Além desses, são abordados o canibalismo antropofágico (entre humanos), como também o canibalismo celular, que acontece quando uma célula cancerígena envolve, aniquila e digere uma outra não alterada. Assim, se objetivou traçar questões sobre a relevância evolutiva e cultural dos diferentes tipos de canibalismo. Porém, independentemente das possíveis respostas à pergunta proposta, o canibalismo sempre desperta curiosidade, sendo condenável por muitas sociedades, pois o antropofagismo pode ferir preceitos religiosos e legais. Também há importantes questões médicas quando o canibalismo promove a transmissão de uma proteína estruturalmente alterada (o príon) que causa doenças neurodegenerativas tanto em humanos quanto em animais de corte. A partir da década de 1970, intensificaram-se estudos sobre a evolução do canibalismo e a sua (des)vantagem ecológica. Com base na seleção de 155 fontes de informação obtidas em diversas bases virtuais, foi possível (re)ver e (re)elaborar questões biológicas, culturais e econômicas sobre o tema.

Palavras-chave: arte; ecologia; evolução; predação; rituais funerários.

Os animais presentes nas histórias do "Homem-Aranha Superior": uma análise à luz da zoologia

Luís Gustavo Fernandes Cavalcanti & Elidiomar Ribeiro Da-Silva

Resumo

A humanidade sempre demonstrou interesse nos demais integrantes do Reino Animal, interesse esse que pode ser descrito como admiração e fascínio. Algumas civilizações históricas observaram e deixaram registros de suas relações e descrições sobre criaturas, o que muitas vezes fez com que fossem colocadas em patamares divinos com características realçadas de forma mitológica. O estudo da Zoologia pode ser muito difícil e muitas vezes mal interpretado como cansativo. É uma área complexa que abrange temáticas diversas como morfologia, fisiologia, ecologia, taxonomia e sistemática. Essas temáticas são subdivididas mas apesar de ser sim um estudo complexo, é extremamente fascinante. É quase inerente à humanidade relacionar de maneira intensa a Zoologia com a cultura. [...]

Palavras-chave: Ciência; cultura; divulgação; herói; memética

Ecoturismo na construção do pertencimento junto ao território em Praia Seca, Araruama, RJ

Erasmo Carlos Barbosa & Danilo Freitas Rangel

Resumo

O artigo aborda Praia Seca, o quarto distrito de Araruama, estado do Rio de Janeiro, ressaltando suas belezas naturais e o impacto do turismo. A área está inserida em unidades de conservação estaduais, mas a especulação imobiliária e a falta de conhecimento da sociedade ameaçam a região. O aumento da população de Araruama torna a comunidade mais diversa, mas falta um senso de pertencimento. A pesquisa mostra a perda da identidade cultural e dos saberes relacionados à natureza. A educação ambiental é crucial para aproximar a coletividade dos ecossistemas e promover o conhecimento e o sentimento de pertencimento. O ecoturismo pode ser uma estratégia para o desenvolvimento sustentável, promovendo a sensibilização ambiental e o crescimento econômico da região, aproveitando seu rico patrimônio histórico, cultural e natural.

Palavras-chave: cultura; identidade; sustentabilidade; turismo.

Porcos, parasitas e preconceito: uma abordagem contextualizada sobre temas de Ciências em uma turma de ensino fundamental

Darlan Morais Oliveira

Resumo

Este trabalho trata-se de um relato de experiência pautado na ministração de conteúdos de Ciências através da abordagem contextualizada, avaliando e interligando o saber popular e científico dos alunos. Para tanto, realizaram-se aulas expositivas dialogadas de caráter revisional no final do ano letivo, utilizando-se como tema gerador um ente simples e presente no cotidiano dos alunos: o porco. As aulas foram aplicadas em uma sala de aula com 32 alunos de uma turma de 7º ano do ensino fundamental, de uma escola pública de São Miguel do Tocantins, TO, sendo analisado o discurso dos discentes e quantificadas suas respostas. Os resultados mostraram o interesse dos alunos sobre o tema e participação interativa; sobre o tema, os discentes demonstraram concepções pejorativas sobre a carne suína baseadas em saber popular, bem como conhecimento raso sobre classificação científica, ciclos parasitários e medidas de prevenção de parasitoses. Concluiu-se que a aula contextualizada é uma abordagem positiva para chamar a atenção dos alunos, tornando-os mais participativos, bem como mostrar o pouco saber científico acerca do tema abordado, o que pode se dever a muitos fatores a serem pesquisados.

Palavras-chave: carne suína; conhecimento científico; contextualização; saber popular.

CORRIGENDA ao artigo

Análise da representação de espécies de animais no jogo Grounded. A Bruxa 7(am2): 52 p.

bottom of page