© 2017-2020 A BRUXA por lbnc

 Volume 4
      número 2, 2020
      especial 1, 2020
      número 1, 2020

ARTIGO DE OPINIÃO

Sobre incursões da fauna silvestre a áreas urbanas durante a pandemia do novo coronavírus

Da-Silva & Coelho

A Bruxa 4(2): 1-13, 2020

Resumo

 

Em janeiro de 2020, a Organização Mundial da Saúde declarou como pandemia o surto de um novo coronavírus, de origem zoonótica, iniciado na China e rapidamente disseminado pelo planeta. Como a transmissão do vírus se dá pelo contato pessoa a pessoa, na inexistência de vacina e medicamentos eficientes, a forma mais adequada de se lidar com o problema é a prevenção do contágio, através do distanciamento social. Recolhidos a suas casas, os seres humanos deixam as cidades vazias e essas vêm recebendo a visita de integrantes da fauna silvestre, com relatos sendo feitos pela imprensa e nas redes sociais. Quando superarmos esse grave problema de saúde pública global, será necessário que se repense a relação dos humanos com os elementos faunísticos e com o meio ambiente como um todo.

 

Palavras-chave: Cervus; Cygnus; Macaca; Puma; SARS-CoV-2; Tursiops.

III MOSTRA DE BIOLOGIA CULTURAL - Carnaval, bichos e plantas

 

RESUMOS

Coelho & Da-Silva (Eds)

A Bruxa 4(especial 1): 1-39, 2020

As potencialidades da animação O Rei Leão como recurso didático no ensino de Ciências e Biologia 

Aline Silva Dejosi Nery; Willian Alves Pereira & José Antônio Dias da Silva

A Bruxa 4(1): 1-8, 2020

Resumo

Os filmes são ótimos recursos didáticos para despertar o imaginário das crianças. Nessa linha, o presente trabalho sugere como as duas versões em longa-metragem de O Rei Leão (The Lion King, Walt Disney Studios, 1994 e 2019) podem vir a ser utilizados como uma ferramenta pedagógica em estudos de ecologia, botânica e zoologia, nas disciplinas de Ciências e Biologia, e em ambientes não-formais, como os centros de ciências e museus. Consideramos que aulas feitas através de animações cinematográficas podem auxiliar no processo de formação dos alunos no estudo de Ciências, contribuindo não só para a autorreflexão como também para a construção do conhecimento crítico, a partir das questões discutidas no contexto da animação. Sendo assim, o longa pode colaborar de forma educativa, dinâmica, criativa, inovadora, sensível e ousada dentro do estudo temático, podendo despertar no aluno o interesse em estudar os assuntos. Enfatizamos que esse recurso deve ser explorado de forma que não se torne apenas um passatempo para os alunos, mas sim que ocorram análises e discussões e se estabeleça uma relação entre a história da animação e os conhecimentos de ecologia, botânica e zoologia.

Palavras-chave: audiovisual; Disney; educação.

A importância das adaptações da Lenda de Anansi pelas editoras DC e Marvel como ferramenta educacional

Luci Boa Nova Coelho & Tainá Boa Nova Ribeiro Silva

A Bruxa 4(1): 9-33, 2020

Resumo

As histórias em quadrinhos (HQs) podem aguçar a curiosidade e ampliar os horizontes do conhecimento, possibilitando a construção de critérios coerentes e de uma visão mais clara e responsável ante aos eventos cotidianos. Pesquisas têm mostrado que as HQs, além de suprirem a necessidade de entretenimento pessoal, são transdisciplinares, o que reforça sua utilidade na transmissão de conhecimentos gerais e específicos.  Nas histórias clássicas, os heróis sempre foram apresentados como deuses, inspirando os meros mortais. As editoras Marvel e DC inseriram em seus títulos a Lenda de Anansi, o deus aranha africano que queria possuir as histórias do mundo. Dentre os personagens que dividem a lenda com Anansi estão um leopardo, um enxame de marimbondos e uma fada que, em algumas das adaptações, foram excluídos ou substituídos. Na DC, nos dois títulos de HQs que abordam a lenda, o principal personagem é a heroína de origem africana Vixen, guardiã do poder de Anansi; em uma animação, também da DC, a lenda foi ligada à ancestralidade do jovem herói Super Choque. Certamente, a relação com o Homem-Aranha fez com que a Marvel publicasse sete títulos em HQ abordando a lenda, traçando paralelos e uma possível origem para o super-herói. A união entre cultura pop e mitologias é benéfica, podendo aproximar o público do raciocínio sobre suas origens e da vida natural. Assim, os mitos e lendas, com sua constante inspiração em animais, fornecem uma ampla variedade de temas de zoologia cultural.

 

Palavras-chave: África; aranha; HQs; zoologia cultural.

IV COLÓQUIO DE ZOOLOGIA CULTURAL

Livro do Evento

Coelho & Da-Silva (Eds)

A Bruxa 3(especial 1): 1-163, 2019