Editorial
Volume 5

No dia 31 de dezembro de 2018, ao completarmos nosso primeiro aniversário, fechamos o duro ano de 2018 com um artigo (Da-Silva, E.R. - Retrospectiva 2018: o ano de consolidação da Biologia Cultural – e jamais isso foi tão necessário. A Bruxa 2(6): 1-8) que realçava a necessidade de se aproximar a população leiga da Ciência e do mundo científico. Infelizmente, o que era ruim conseguiu ficar ainda pior. Em 2019, atônitos, vimos ganhar corpo a negação à Ciência, consolidada em questionamentos inquisitoriais a instituições de notório saber científico, como a FIOCRUZ, o INPE e as universidades públicas, e com diversos cortes de verbas e bolsas de pesquisa.

Em 2020, a humanidade foi atropelada por uma pandemia - causada por nós mesmos, diga-se de passagem – e, pior ainda, o negacionismo científico cresceu. Tem gente até renegando a tão sonhada vacina, a maior esperança para se derrotar a pandemia de COVID-19. E a gente fazia piada quando estudava a “Revolta da Vacina” do início do século XX. Quem dera fosse apenas uma piada...

Mas em 2020 a Ciência reagiu, como sempre fez. Adaptou-se. Provavelmente nunca se falou tanto de Ciência nas redes sociais. E isso é fundamental, pois precisamos da sociedade ao nosso lado, o que somente é conseguido quando falamos o mesmo idioma. Aliás, nós ESTAMOS do mesmo lado.

Sigamos.

                                                                                                                                                                                       Os editores

                                                                                                                                                                                       8 de janeiro de 2021